sábado, 13 de dezembro de 2014

Extraordinário/ Wonder

Extraordinário 

"August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor."
                                                                                                                                 Fonte: Skoob




Alguns livros são cheios de ação, obrigando o leitor a virar as páginas, só pra descobrir o que acontece em seguida. Outros livros são convincentes porque convidam os leitores a se envolver com personagens que são reais,acontece no decorrer do livro, e ainda assim os leitores vão encontrar-se afetado por Auggie e sua história. 





 "Meu nome é August. Não vou descrever o que eu pareço. Tudo o que você está pensando, o seu provavelmente pior." 


Eu chorei no final do livro, talvez o mais notável truque de Palacio está em nos deixar com a impressão de que os problemas do Auggie são superáveis ​​em todos os caminhos que contam que ele é, de fato, em uma posição invejável. O livro é dividido em oito partes. Ele começa com o personagem narrando o livro, mas depois quem acaba narrando é a irmã dele, o namorado da irmã, a melhor amiga da irmã e assim por diante.
Esse livro é um livro que ensina bastante como nós devemos nos  relacionar com as pessoas, não só com quem tem algum tipo de deficiência ou  complicação, mas ensina como nós devemos nos relacionar com nossos amigos e com as pessoas que estão ao nosso lado.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! :)